terça-feira, 29 de março de 2011

Sim e não

- O Celta branco lá fora é de algum de vocês?
- Sim.
- Roubaram o carro agorinha.
- Levaram o carro?
- Não.
- Uia, quebraram o vidro. Levaram muita coisa?
- Sim.
- Você viu a cara dos caras?
- Não.
- Preciso cancelar o meu celular que foi roubado. Alguém sabe o número que tem que ligar?
- Sim.
- Já chamei a polícia, eles tão vindo. Conseguiu ligar na TIM?
- Não.
- O meu também não funciona, dá "rede ocupada". Deve ser o local que a gente tá, que tá ruim de sinal.
- Sim.
- Chegou a polícia. É com você que eu faço o BO?
- Não.
- Vocês sabem alguma coisa sobre o carro que transportava os caras que roubaram as coisas de vocês?
- Sim.
- Vai dar pra localizar os caras pela placa?
- Não, porque a placa é de fora.
- Olha só, antes de ir na DP pra fazer BO, vou querer ir numa loja TIM pra cancelar o meu telefone.
- Sim.
- Vão vocês lá dentro, eu fico aqui, guardando o carro da janela quebrada.
- Não.
-Vai deixar o carro aberto aqui?
- Sim.
- Oi, acabo de ser roubada e quero cancelar o meu telefone.
- Não vai dar, porque estamos sem sistema.
- Posso usar o seu telefone pra pedir pra outra pessoa, em outro estado, cancelar o meu telefone por mim?
- Sim.
- Oi, sou eu, fomos assaltados agora há pouco e levaram o meu telefone.
- Levaram a carteira?
- Não.
- Cê cancela o meu telefone por mim, já que aqui tá sem sistema?
- Sim.
- Fechou então. Voltamos pro carro?
- Não, ainda preciso fazer mais uma coisa.
- Mas eu vou pro carro.
- Sim.
- Esse carro é seu?
- Não, mas estou com a dona.
- Quebraram o vidro, foi?
- Sim, mas não foi aqui.
- Pronto, agora vamos na DP. Alguém sabe onde fica?
- Não exatamente.
- Ah, então quer dizer que a DP fica do outro lado?
- Sim.
- E aí, conseguiram fazer o BO?
- Não, tá sem internet.
- É tarde, vamo pra casa.
- Sim.

6 comentários:

Phil disse...

Uai, é verídico isso aí?

iglou disse...

Sim.

As vozes estão misturadas, mas as falas aconteceram. Foi ontem, na região central de PVH. Estacionaram do lado do carro da minha amiga, quebraram o vidro, levaram o que tinha dentro do carro (computador, livros, tarefa de casa dos alunos) e foram embora num carro muito mais chique que o Celta. A moça que trabalha na pizzaria da esquina viu tudo, foi no restaurante onde a gente tava e avisou.
Não levaram nada meu, e a minha amiga já se conformou com a insensatez de deixar tantos bens à vista, no banco de trás do carro. Na porrada, a gente aprende.

odinn disse...

aqui a gente não deixa nada à vista não...

iglou disse...

Então...

Em SP, BH, BSB ou qualquer outra grande cidade a gente também não deixaria nada dando sopa no banco de trás de um carro.

Tem aquela expressão "saí da roça, mas a roça não saiu de mim"? Nosso caso foi invertido: "saí da metrópole e os hábitos de metrópole saíram de mim."

odir disse...

entendo, na época em que dava aulas metade da semana numa cidade de 100.000 habitantes, a metrópole tb saía de mim. não se preocupar é um conforto.

francismarys disse...

"Fomos assaltados agora há pouco e levaram o meu telefone..."
...
- Mas na verdade não foi um assalto, foi um roubo.
- Não, um furto!
- hum...
...
- Mas a palavra furto é tão bonitinha...